Widget de exemplo

This is an example widget to show how the Secondary sidebar looks by default. You can add custom widgets from the widgets screen in the admin. If custom widgets are added then this will be replaced by those widgets

Morro da Fumaça intensifica ações de conscientização contra a dengue

A ameaça da dengue no Estado fez a Vigilância Sanitária de Morro da Fumaça intensificar os trabalhos de orientação entre a população. Diariamente, as equipes formadas por agentes comunitárias de saúde e agentes de endemias visitam os moradores para entregar panfletos explicativos e dialogar sobre como evitar a proliferação do mosquito. A ação se estenderá por todos os bairros do município.

A vigilância possui instaladas 56 armadilhas em pontos estratégicos que são monitorados semanalmente. Até o momento, nenhum foco do Aedes aegypt foi encontrado. O intuito é que o cenário se mantenha assim, apesar de outras cidades da região já terem registrado a incidência do transmissor.

“Estamos pedindo para a população continuar com os cuidados, principalmente com caixas d’água abertas, piscina, pneus, garrafas, vasos e qualquer coisa que acumule água parada. O povo não pode relaxar. Pelo o que estamos vendo, a dengue está se manifestando muito forte nos municípios vizinhos”, explica Rejane Sartor Sorato, agente de endemias.

A fiscalização acontece principalmente em fábricas e indústrias, onde o fluxo de entrada e saída de veículos provenientes de outras cidades e estados é maior. Pessoas que apresentarem os sintomas da doença, que envolvem febre alta, dor de cabeça, dor no corpo, conjuntivite e manchas avermelhadas pelo corpo, devem procurar imediatamente a Unidade de Saúde mais próxima. “É importante receber ajuda médica para realizar o teste e passar por acompanhamento”, destaca Marijane Felippe, secretária do Sistema em Saúde de Morro da Fumaça

Perigos

De acordo com Moacir Simas, supervisor do Programa de Combate à Dengue da Amrec, a doença pode causar sérios danos à saúde do ser humano. “A dengue mata. Por isso entra a parte educativa, de orientação. Não queremos que o município fique infestado como já está acontecendo em outras regiões”, afirma. O atual período do ano é considerado de alto risco. “Estamos no início do outono, onde ainda ocorrem dias quentes e chuvosos, ideais para o mosquito se proliferar mais rápido”, alerta.