---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Relatório da Defesa Civil aponta mais de oito mil pessoas atingidas pela chuva em Morro da Fumaça

Publicado em 06/06/2019 às 09:17 - Atualizado em 06/06/2019 às 10:04

A chuva registrada há 15 dias afetou mais de oito mil pessoas, duas mil residências e 123 ruas de Morro da Fumaça. Os dados foram levantados pela Defesa Civil do Município e encaminhados ao Governo Estadual. Com relação às unidades habitacionais, os estragos somam mais de R$ 3 milhões. Já na infraestrutura urbana, este valor é de R$ 1,2 milhão. Os maiores problemas foram registrados na área urbana, onde foram afetadas 1.858 casas, 7.648 pessoas e 115 ruas . Na área rural estes números caem consideravelmente: 162 residências. 648 pessoas e oito vias.

Conforme o coordenador da Defesa Civil, Natan de Souza, houveram danos em diversas vias urbanas, sete cabeceiras de pontes, duas travessias/transposições e 22 canais de drenagem, necessitando de recomposição de materiais, melhorias, reformas, reestruturações e limpezas. “Desde o início da chuva, na sexta-feira, dia 24, atuamos para dar assistência às famílias mais fragilizadas, desalojadas e desabrigadas. Além disso, estávamos monitorando os níveis em áreas de risco para o município e ao longo da semana focamos na geração de relatórios, com o levantamento dos danos e prejuízos tanto no setor público quanto no privado”, salienta o coordenador da Defesa Civil de Morro da Fumaça, Natan de Souza.

Plano de Trabalho

Ele lembra ainda que desde que o decreto de situação de emergência foi assinado, no sábado, dia 25, toda a equipe de Governo foi mobilizada para reunir as informações necessárias. “Nos últimos dias enviamos toda a documentação para ser homologada a situação de emergência pelo Governo do Estado que por sua vez mandará para o Governo Federal, para análise de possível liberação do Fundo de Garantia e o município ser compensado pelos prejuízos. O próximo passo é iniciarmos o plano de trabalho para verificarmos como o Governo Federal poderá nos ajudar”, fala.

O bairro que mais sofreu foi Naspolini com 341 residências atingidas, afetando 1,3 mil pessoas. Depois aparece o Centro com 216 casas e mil pessoas afetadas pela chuva. O Graziela também está entre os que mais sofreu: 169 residências e 676 pessoas. Com relação ao setor privado, levantamento aponta prejuízo de mais de R$ 4 milhões, sendo que o mais atingido foram as mineradoras, que ultrapassa os R$ 2 milhões e as cerâmicas com R$ 1,2 milhão. O comércio vem na sequência com estragos que chegam aos R$ 560 mil.

 

Relação de bairros, ruas e residências afetadas pelo alagamento:

Bairro

 Residências

Pessoas afetadas

Urbana

Rural

Ruas afetadas

Capelinha

167

668

x

 

11

Bortolatto

73

292

x

 

8

Imbirapuera

73

292

x

 

3

Palladini

76

304

x

 

3

Monte Verde

86

344

x

 

6

Graziela

169

676

x

 

8

Maccari

145

580

x

 

9

Morro Maccari

31

124

x

 

2

Esperança

89

356

x

 

8

Naspolini

341

1364

x

 

14

Jussara

145

580

x

 

6

De Costa

33

132

x

 

3

Centro

216

1080

x

 

18

Vila Rica

67

268

x

 

3

Estação Cocal

132

528

x

x

12

Mina Fluorita

15

60

x

 

1

Linha Torrens

42

168

x

x

1

Mina Visconde

2

8

x

x

1

Localidade de Linha Pagnan

26

104

x

x

2

Localidade de Linha Cabral

17

68

x

x

1

Localidade de Linha Barracão

26

104

x

x

1

Localidade de Linha Frasson

37

148

x

x

1

Localidade de 2ª Linha Torrens

12

48

x

x

1

Rural

162

648

 

 

8

Urbana

1858

7648

 

 

115

Total

2020

8296

 

 

123

 

Danos aos setores privados

Danos as Indústrias Cerâmicas

 R$ 1.233.450,00

Danos as Mineradoras

 R$ 2.009.888,00

Danos ao Comércio

 R$ 562.450,00

Danos a Prestadores de Serviços

 R$ 70.000,00

Danos a Agricultura

 R$ 237.200,00

Total

 R$ 4.112.988,00

 

*Fonte: Defesa Civil de Morro da Fumaça